Agora é a vez do frevo!

Agora é a vez do frevo!

Agora é a vez do frevo.jpg

 

A história do Batuque Book teve início em 2006 quando Climério de Oliveira e Tarcísio Resende concluíram um livro que tratava da cultura dos maracatus. Inicialmente, o projeto foi inspirado nos songbooks, que trazem melodias e cifras de canções populares difundidas pela indústria majoritária do entretenimento. O livro de Climério e Tarcísio abordava os maracatus de um modo simples, informando aos leigos através de um texto informativo, como também atendendo aos diversos pesquisadores, músicos, estudantes e outros especialistas interessados em conhecer o tema e a compreender a teia rítmica dos maracatus. Entretanto, no momento da conclusão do livro, os autores perceberam que o termo songbook não dava conta do produto final, uma vez que o novo trabalho tratava de uma cultura musical tradicionalmente comunitária, participativa, de transmissão oral e que, sonoramente falando, enfatiza o batuque (batida rítmica). Numa conversa com o etnomusicólogo Carlos Sandroni, surgiu o nome Batuque Book, adotado prontamente pelos criadores da coleção.

Antes mesmo de ser lançado, o livro foi tão bem recebido pelo público, que os criadores foram praticamente compelidos a pensar na coleção Batuque Book. O primeiro foi lançado em 2006:  Maracatu: baque virado e baque solto, acompanhado de um CD-ROM, abordando o maracatu nação (de baque virado) e  o maracatu de orquestra ou rural (de baque solto). O segundo volume foi lançado três anos depois:  Cabocolinho (2009), também complementado com um CD-ROOM, focalizando essa tradição que é abundante em Pernambuco. Os dois primeiros foram editados pelos próprios autores. Já o terceiro volume da coleção, Forró: a codificação de Luiz Gonzaga (2013), foi escrito apenas por Climério de Oliveira, que, sendo inserido no contexto do forró, interpretou as músicas gravadas no DVD, tendo a companhia de ilustres convidados, como: Dominguinhos, Genaro, Maciel Melo e Herbert Lucena, entre os principais. Publicado pela Cepe Editora, o Batuque Book do forró, como expressa o subtítulo, concentra-se na vertente forrozeira liderada pelo Rei do Baião.

De alguns anos para cá, vários amigos de Climério de Oliveira vinham instigando a produção de um Batuque Book voltado para o frevo. Entre esses provocadores estão os maestros Ademir Araújo e Spok, o compositor Maurício Cavalcanti e o saxofonista Marcelo Coelho, só para citar alguns. Climério de Oliveira e Marcos FM, que já vinham realizando parcerias musicais em shows de forró e de frevo, uniram-se em torno do novo empreendimento. Nesse ínterim, com a bagagem dos livros anteriores, Climério doutorou-se em etnomusicologia e Marcos FM tornou-se um notável compositor e arranjador de frevo, sobre o que também escreveu dois livros técnicos: Arranjando frevo de rua (2017) e Arranjando frevo-canção (2019), ambos lançados pela Cepe Editora. Ao decidirem encarar a ideia de adentrar e compreender o universo do frevo, eles cairam em campo, entrevistaram maestros, músicos e foliões, presenciaram as saídas de várias troças/clubes e orquestras de frevo de rua, foram a apresentações de palco, acompanharam blocos líricos e realizaram escutas compartilhadas com vários experts. Além disso, eles tocaram os seus próprios trabalhos relacionados a frevo, vivenciando a música enquanto escreviam o novo livro da coleção Batuque Book. Dessa colaboração, está nascendo o livro Frevo: transformações ao longo do passo, que aborda essa pujante cultura musical em fluxo, desde o seu surgimento até os nossos dias; desde os trabalhos que se fizeram convencionais, até as práticas de fronteira, que misturam frevo com outras músicas e costumam provocar reações entre os tradicionalistas. Entre os frevistas atuais, o livro aborda os trabalhos dos maestros Edson Rodrigues, Duda, Ademir Araújo, Spok, Forró e ainda a Troça Carnavalesca Ceroula acompanhada pela Orquestra Maestro Oséas, entre vários outros.